Coleções Zoológicas


Padre Jesus Santiago Moure foi um dos maiores naturalistas brasileiros e contribuiu de forma decisiva para o reconhecimento do Estado como uma das forças mais significativas do País em estudos sobre a biodiversidade. Foi o fundador do Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, no ano de 1938, ano da fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da mesma universidade. Apesar de entomólogo, foi o marco inicial da Biologia Marinha no Paraná no ano de 1951, tendo trabalhado muito para a criação de uma Estação de Estudos do Mar. A partir de seus estudos em Insecta, Hymenoptera, mais particularmente abelhas, fundou o que se tornou a terceira maior coleção de insetos do País e a qual leva seu nome: Coleção Entomológica Pe. Jesus Santiago Moure (DZUP). Mais tarde, com a contratação de taxonomistas em outros grupos animais o contingente das Coleções Zoológicas do Departamento aumentou, possuindo atualmente coleções de mamíferos, peixes, ascídias, crustáceos e cnidários.

Outras coleções zoológicas de grande importância também participam do atual projeto, como o acervo das Universidades Estaduais de Londrina e de Maringá e Ponta Grossa, assim como as coleções do Museu de História Natural Capão da Imbuia e o acervo proveniente do Projeto Solobioma.

  • Instituições Municipais

    SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

    Museu de História Natural Capão da Imbuia - MHNCI

    O Instituto de História Natural foi criado em 1956, depois que as seções biológicas e geológicas foram desmembradas do Museu Paranaense. Em 14 de agosto de 1963, o Instituto de História Natural passou a ser chamado Instituto de Defesa do Patrimônio Natural (IDPN), transferindo-se para o bairro Capão da Imbuia, onde permanece até hoje. Em 1976, o IDPN foi integrado ao Instituto Agronômico do Paraná, da Secretaria de Estado da Agricultura e, em 1981 as coleções foram transferidas para a Prefeitura Municipal de Curitiba.

    Até o final de 1994 o Museu pertencia ao Departamento de Pesquisa e Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, com o nome de Divisão de Museu de História Natural, tornando-se conhecido nos meios científicos como Museu de História Natural Capão da Imbuia (MHNCI). Em fevereiro de 1995 passou a integrar o Departamento de Zoológico dessa mesma Secretaria.

    O MHNCI é atualmente uma divisão do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, que além da realizar pesquisas científicas e atividades de educação ambiental, mantém um banco de dados zoológico que se constitui no melhor e mais completo documento de história natural do Paraná.

    O acervo do MHNCI está tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná (Lei Estadual 1211, de 16/09/1953), e a sede constitui Unidade de Conservação Municipal (Decreto Municipal 252, de 10/05/1994).

    As coleções científicas do MHNCI receberam recursos no ano de 2006 para modernização e informatização dos acervos através da Coordenação Geral de Políticas e Programas de Pesquisa e Biodiversidade – CGBD do Ministério da Ciência e Tecnologia. As coleções do MHNCI estão integradas ao TAXon-line, projeto da Rede Paranaense de Coleções Biológicas que visa a centralização de informações de acervos científicos, para a instrumentação e desenvolvimento das pesquisas biológicas e biotecnológicas no estado do Paraná.

    As atividades desenvolvidas atualmente incluem pesquisas científicas nas áreas de mastozoologia, ornitologia, entomologia, carcinologia, parasitologia, ictiologia e herpetologia. Além disso, o acervo expositivo é aberto ao público e atende às redes municipal, estadual e particular de ensino.

    Vinícius Abilhoa – Curador (http://lattes.cnpq.br/0315094345358871)

    SMMA - Secretaria Municipal do Meio Ambiente

    Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna

    Rua Professor Benedito Conceição, 407

    Esquina com Rua Nivaldo Braga

    82810080 - Capão da Imbuia - Curitiba - PR

    telefone: +55 (41) 3313-5735

    email: mhn@smma.curitiba.pr.gov.br - http://mhnci.webnode.com

    Telefone: +55 (41)3313-5584


  • Instituições Estaduais

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

    Museu de Zoologia da Universidade Estadual de Londrina - MZUEL

    O Museu de Zoologia, da Universidade Estadual de Londrina, possui a maior coleção Ictiológica da Bacia do Rio Tibagi. Com mais de 150 espécies de peixes registradas, sendo algumas originárias de outras bacias hidrográficas, tais como a bacia do rio Paraguai, bacia do rio Amazonas e um lote representativo da bacia do rio Paranapanema. A coleção ictiológica atualmente apresenta-se registrada em livro tombo e informatizada, compreendendo 1490 lotes depositados na coleção. A coleção é na sua maioria, uma coleção úmida, possuindo porém alguns exemplares de mamíferos, répteis e aves, taxidermizados. Possui também uma coleção Herpetológica, onde estão depositadas mais de 100 espécies de Répteis, representados por quelônios, lagartos e serpentes, e mais de 50 espécies de Anfíbios. Originários do norte do Estado do Paraná, Estado de São Paulo e Estado de Rondônia. Os principais estudos desenvolvidos no museu, consistem em Sistemática e Filogênia de peixes neotropicais, fornecendo subsídios para as área de ecologia e biologia desenvolvidas em parte no museu e também genética de peixes.

    Oscar Akio Shibatta (http://lattes.cnpq.br/7655450575101641)

    Universidade Estadual de Londrina

    Departamento de Biologia Animal e Vegetal - CCB

    Caixa Postal 6001, 86051-990, Londrina, PR, Brasil

    e-mail: shibatta@uel.br

    telefone: +55 (43) 3371-4631


    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

    NUPELIA - Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura

    O Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura (Nupélia) vem, desde 1983, desenvolvendo vários projetos de pesquisa em convênio com empresas do setor elétrico em reservatórios de vários estados do Brasil e ambientes naturais, como a planície de inundação do alto rio Paraná, na região de Porto Rico, PR. Estes projetos têm sido desenvolvidos também em colaboração com pesquisadores de diferentes instituições brasileiras e de fora do Brasil, assim como com inúmeros alunos de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu.

    Em 1991 foi consolidado o curso de Pós-graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais, contando com a estrutura física, apoio logístico e pesquisadores do Nupélia. Atualmente o Programa é muito bem conceituado junto à Capes e recebe alunos de vários estados brasileiros e de outros países americanos. O resultado destas pesquisas tem sido revertido em centenas de publicações de artigos, livros e capítulos de livros, os quais possuem grande relevância no cenário científico nacional e internacional.

    Embora relativamente recente, o Nupélia vem congregando pesquisadores de diferentes áreas das ciências de ambientes aquáticos continentais, e conta hoje com vários laboratórios de diversas especialidades. Além disso, o Núcleo conta também com uma biblioteca setorial cujo acervo é completamente direcionado para a ecologia de água doce. Um grande acervo biológico, composto por peixes e ictioplâncton de água doce, assim como um herbário representado por plantas da vegetação ripária, também representa uma relevante contribuição do Nupélia para as gerações futuras.

    http://www.nupelia.uem.br

    Av. Colombo, 5790

    Campus Universitário

    87020-900 - Maringá – PR

    Telefone: +55 44 3011-4750

    FAX: +55 44 3011-4625

    Email: secretaria@nupelia.uem.br


    UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

    Coleção Entomológica dos Campos Gerais do Paraná - CECGP

    A Coleção Entomológica dos Campos Gerais do Paraná-UEPG (CECG) compõe um importante acervo da biodiversidade de insetos da região dos Campos Gerais do Paraná. Estima-se que a região apresente uma entomofauna bastante diversa, com representantes de todas as ordens de insetos que ocorrem no Brasil. Os fatores climáticos, geológicos e a diversidade, estrutura e complexidade das formações vegetacionais e de microhabitats da região certamente contribuem fortemente para a riqueza de espécies e de interações destes insetos com outros animais e plantas. Considerando que os dados referentes à fauna de insetos da região são ainda bastante incompletos, visto que a maior parte dos trabalhos trata de levantamentos de grupos específicos, em áreas restritas, a CECG visa aprofundar o conhecimento acerca da composição da entomofauna regional, ao reunir, sistematizar e disponibilizar o maior número possível de informações. Instalada no Departamento de Biologia Geral, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, a coleção abriga cerca de 100.000 exemplares de insetos, entre espécies terrestres e aquáticas, principalmente das ordens Diptera, Coleoptera, Hymenoptera, Hemiptera e Lepidoptera. A importância do acervo está no registro da entomofauna de áreas hoje bastante modificadas, na possibilidade de identificação de insetos representantes dos diversos grupos, além da disponibilização, via Internet, de uma grande quantidade de informações da entomofauna regional, como a presença de espécies endêmicas ou bioindicadoras de qualidade ambiental.

    Ivana de Freitas Barbola – Curadora (http://lattes.cnpq.br/0517450543564722)

    Universidade Estadual de Ponta Grossa - Dep. Biologia Geral

    Av. Carlos Cavalcanti, 4748; Bl. M. - Uvaranas

    84030-900 - Ponta Grossa – PR - Brasil

    e-mail: ibarbola@yahoo.com.br

    telefone: +55 (42) 3220-3129

    telefone: +55 (42) 9103-2321

    Julianne Milléo – Co-Curadora (http://lattes.cnpq.br/9080862012369372)

    Universidade Estadual de Ponta Grossa - Dep. Biologia Geral

    Av. Carlos Cavalcanti, 4748; Bl. M. -Uvaranas

    84030-900 - Ponta Grossa – PR - Brasil

    e-mail: jmilleo@hotmail.com

    telefone: +55 (42) 3220-3128


  • Instituições Federais

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

    Coleção Entomológica Pe. Jesus Santiago Moure - DZUP

    Padre Jesus S. Moure (1912–2010) foi o fundador do Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, no ano de 1938, ano da fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da mesma universidade. Apesar de entomólogo, foi o marco inicial da Biologia Marinha no Paraná no ano de 1951, tendo trabalhado muito para a criação de uma Estação de Estudos do Mar. A partir de seus estudos em Insecta, Hymenoptera, mais particularmente abelhas, fundou em 1956 o que se tornou a terceira maior coleção de insetos do País e a qual leva seu nome: Coleção Entomológica Pe. Jesus Santiago Moure (DZUP). O acervo dessa coleção conta com aproximadamente sete milhões de insetos representantes principalmente das ordens Coleoptera, Diptera, Hemiptera, Hymenoptera e Lepidoptera. Atualmente a Coleção Pe. Jesus Santiago Moure conta com a curadoria geral da Dra. Luciane Marinoni.

    O acervo de Coleoptera conta com cerca de 100 famílias e está distribuído em mais de 1.400 gavetas. Marinoni et al. (1992) publicaram uma lista do material tipo incluindo 1.429 exemplares e Ribeiro-Costa et al. (2010) aumentaram esse número para 1.541. A coleção de Coleoptera tem como curadoras a Dra. Lúcia Massutti Almeida e Dra. Cibele Stramare Ribeiro-Costa (Laboratório de Sistemática e Bioecologia de Coleoptera).

    Na Coleção de Diptera existem 110.000 espécimes secos e alfinetados ou em lâminas, cerca de 40 por cento identificados ao nível genérico ou específico. As famílias mais representativas são Muscidae, Culicidae e Syrphidae. A coleção tem como curador o Dr. Claudio J. B. de Carvalho.

    A Coleção de Hemiptera abriga cerca de 105.000 exemplares montados em alfinetes entomológicos. Possui também 11077 lâminas, representando 63 gêneros e 140 espécies de Aphidoidea. A coleção tem como curador o Dr. Rodney Ramiro Cavicchioli.

    O acervo de Hymenoptera da coleção DZUP contém aproximadamente 500 mil exemplares montados e etiquetados. A maior parte do material, cerca de 340 mil espécimes, pertence à família Apidae (abelhas). O acervo abriga um grande número de tipos primários de espécies de abelhas descritas, principalmente aquelas descritas pelo Padre Moure e pela Profa. Danúncia Urban, com cerca de 600 holótipos no total. Dr. Gabriel Augusto Rodrigues Melo é o curador da coleção de Hymenoptera.

    A coleção de Lepidoptera possui 363 tipos primários, entre holótipos, neótipos e lectótipos de espécies neotropicais. Sendo o Prof. Dr. O. H. H. Mielke curador de Hesperioidea e mariposas (130.415 exemplares) e Profa. Dra. M. M. Casagrande de Papilionidea (137.590 exemplares).


    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

    Coleções do Departamento de Zoologia - DZUP



    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

    Laboratório de Ecologia Aplicada e Bioinvasões – LEBIO

    A coleção em via seca já conta com 100 lotes. Todo o material está sendo cadastrado em um livro tombo e também será disponibilizado em bancos de dados nacionais e internacionais e neste site. O material serve como referência para os estudos de malacologia no Estado do Paraná e para consulta de pesquisadores da área.

    Carlos Eduardo Belz - Curador (http://lattes.cnpq.br/0590049747854598)

    Centro de Estudos do Mar - CEM

    Av. Beira-mar, s/n

    Caixa Postal / P.O.Box: 61

    CEP / Zip Code: 83255-976

    Pontal do Sul – Pontal do Paraná – PR – BRASIL

    e-mail: belzoceanos@ufpr.br - http://lebioufpr.wix.com/lebio

    telefone: +55 (41) 3511-8663


    UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

    Laboratório de Foraminíferos e Micropaleontologia Ambiental (LaFMA)

    A coleção de foraminíferos é majoritariamente composta por espécimes bentônicos da margem continental brasileira e também há material procedente de outros países. O acervo conta com mais de 241.460 foraminíferos estudados e identificados, perfazendo cerca de 650 espécies. A coleção encontra-se em fase de tombamento e informatização e atualmente apenas 231 espécimes estão disponíveis em rede. As coleções de trabalho encontram-se disponíveis em mais de 1.587 lâminas, com exemplares identificados em nível de espécie ou gênero. As coleções estão preservadas em via seca, conforme as normas técnicas de preservação e acondicionamento utilizadas para o grupo. O público alvo é composto principalmente por pesquisadores de instituições nacionais e estrangeiras, por prestadores de serviço atuando na área de biologia, geologia e avaliação ambiental, além de estudantes de graduação e pós-graduação.


    Sibelle Trevisan Disaró - Curador

    stdisaro@ufpr.br

    www.forams.ufpr.br


    Elis Regina Ribas - Assistência de Curadoria

    elis_ribas@yahoo.com.br

    foraminiferacolecao@gmail.com